domingo, 4 de outubro de 2009

Cientista diz que até 2040 faremos upload do próprio cérebro via:infoterra

wOw! Ray Kurzweil, futurologista e cientista americano, dedicou a vida toda a criar máquinas e aparelhos que ajudassem as pessoas. Agora ele acredita que uma nova era se aproxima, na qual, com modificações genéticas, o ser humano será capaz de feitos incríveis, como correr na velocidade do atleta-fenômeno americano Usain Bolt, transferir dados diretamente do cérebro para, por exemplo, a internet e até mesmo viver para sempre.

Segundo o site The Independent, Kurzweil foi o criador de dispositivos inovadores, como o primeiro sintetizador de música capaz de duplicar quase que perfeitamente o som de um piano de cauda, ou do primeiro leitor de livros para cegos. O inventor é conhecido por seu louvável senso de responsabilidade social. Seu aplicativo educacional chamado Kurzweil 300, que ajuda no ensino de pessoas com dislexia ou transtorno de déficit de atenção, é um exemplo disso. Kurzweil afirma que, com o avanço do estudo do DNA, a imortalidade vai se tornar uma proposta real até 2045. Ele chama toda essa gama de processos de evolução, assistida ou não, de Singularidade.

Na transcrição de um podcast (bit.ly/PdcastKurzweil) publicado pela Scientific American, o jornalista John Horgan, que estudou o trabalho de Kurzweil e seus conceitos, disse que todos esses processos podem acontecer inclusive sem o uso de inteligência artificial, apenas com engenharia genética ou até com auxílio de remédios, prolongando a vida por centenas de anos.

Kurzweil ainda defende que seremos capazes de enviar informações de uma mente humana para um computador, capturando toda sua personalidade, incluindo memória, habilidades específicas e sua história, usando para isso máquinas não biológicas que coexistirão com os humanos de forma tão harmoniosa que as diferenças entre eles não serão tão importantes.

Stumble Upon Toolbar

Nenhum comentário: